Skip to main content

Solsist, empresa de energia solar com sede no Raja Valley, deve crescer 35% em 2020

mercado de energia solar no Brasil está em pleno crescimento, mesmo em tempos de coronavírus. Embora o país esteja às voltas com o fechamento de grande parte do comércio, comprometendo enormemente a prestação de serviços em diversos setores, empresas de energia buscam novas formas de negócios e de se relacionar com seus clientes.

É o caso da Solsist Energia Solar, empresa mineira de energia solar fotovoltaica, fundada em 2014, com equipe especializada e vasta experiência no ramo. Com sede no Raja Valley, a Solsist tem uma equipe que envolve funcionários de várias engenharias (de energia, elétrica, civil), administração, direito, marketing digital, além de técnicos de campo e instaladores.

Atualmente, a empresa trabalha com clientes de nove estados brasileiros, desenvolvendo soluções alternativas e econômicas de energia, prestando serviços nos setores de comércio, indústria, agronegócio, além da clientela residencial. Também estreitou laços com o mercado internacional, atuando em parceria com a China nas áreas de manutenção e comissionamento de grandes usinas.

NOVA FRENTE COM FOCO NO EMPREENDEDOR

Outro foco de atuação da Solsist é o treinamento digital. Recentemente, a empresa lançou o curso de administração e técnicas de vendas consultivas para o setor fotovoltaico.

Segundo Luciano Vinti, sócio-fundador da Solsist, as aulas são destinadas ao empreendedor de energia com interesse na área de vendas, a consultores de vendas e profissionais que estão ingressando no mercado. “Percebemos que alguns empreendedores tinham dificuldades com vendas e decidimos lançar o curso”, explica.

As aulas da primeira turma iniciaram no dia 24 de junho e incluem 130 aulas, entre as quais seis encontros on line. O curso dura, em média, dois meses, mas os alunos têm acesso ao conteúdo por um ano. “Oferecemos treinamento desde 2015, quando lançamos o curso de projetos, mas com a pandemia digitalizamos os processos”, conta Luciano Vinti, acrescentando que a Solsist já ofereceu treinamentos a 1.500 profissionais.

O curso de projetos, inclusive, está com as matrículas abertas e podem ser feitas pelo site www.solsist.com.br. As aulas incluem desde o treinamento básico até a aprovação do projeto na concessionária de energia elétrica. A carga horária é de 19 horas. “A vantagem é que para ingressar no curso não é necessário ser engenheiro”, diz Luciano.

RAJA VALLEY: INTERAÇÃO E CRIATIVIDADE

Ainda segundo Luciano, a opção por concentrar as atividades da Solsist no Raja Valley, no Bairro Santa Lúcia, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, se deve ao fato de o espaço ser um ambiente de empresas e startups, com vários negócios ligados à inovação. “É um ambiente de coworking, colaborativo e muito interessante. Nós trocamos experiências com outras empresas, com profissionais de diversas áreas, o que contribui para fomentar a criatividade”, comenta.

Com a pandemia, os profissionais da Solsist se viram obrigados a trabalhar em esquema de home office, mas nos próximos dias, as equipes retornam gradualmente ao escritório, com todas as medidas de segurança. “A gente se reinventou, investimos mais nos treinamentos e em oferecer um serviço de qualidade aos clientes, mesmo durante a pandemia.”

A expectativa de crescimento da Solsist é de 35% no faturamento em 2020.

O MERCADO DE ENERGIA SOLAR EM NÚMEROS

Em expansão, o mercado de energia solar ainda tem muito para crescer. Iniciado em 2012, com apenas dois sistemas fotovoltaicos instalados no Brasil, até o momento há pouco mais de 224 mil sistemas (usinas), com destaque para cidades como Rio de Janeiro, Uberlândia e Belo Horizonte. Na capital mineira, há 2.277 sistemas instalados (dados da Aneel).

Entre as categorias de consumo, 72% das usinas instaladas no Brasil são residenciais, 18% comerciais, 7% rurais e 3% industriais.

Na visão dos especialistas, é um mercado com forte tendência de crescimento exponencial. Luciano Vinti acrescenta que a favor do negócio está o retorno relativamente curto do investimento – cerca de três anos. “Se levarmos em conta que é possível a redução da taxa de energia em até 97%, é um investimento bastante atraente”, explica.

Minas Gerais é o primeiro estado em número de usinas de geração distribuída (53.298 unidades), seguida por São Paulo (40.491) e Rio Grande do Sul (34.041).

Luciano Vinti, sócio-fundador da Solsist vai conversar ao vivo no dia 3 de julho, 18h direto do Canal Raja Play no Youtube. Link abaixo: https://www.youtube.com/channel/UCNXdudy0__U6tPeQ1RgIb9A?view_as=subscriber

fonte: Revista Exclusive

%d blogueiros gostam disto: