Skip to main content

Consumidores residenciais investem mais de R$ 5 bilhões em energia solar

Levantamento da ABSOLAR aponta que as residências dominam o setor de geração solar distribuída, respondendo por 72,6% de todos os sistemas do País

O investimento acumulado de consumidores residenciais em energia solar alcançou a marca de R$ 5,1 bilhões no Brasil. As informações são do mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), apontando ainda que as residências respondem por 38,9% dos cerca de 2,3 gigawatts de potência instalada em operação.

Hoje, a fonte solar fotovoltaica domina as conexões de geração distribuída no País, representando 99,8% das conexões e cerca de 200 mil sistemas instalados, em mais de 79,9% dos municípios brasileiros. Ainda segundo o levantamento, os investimentos acumulados já somam R$ 11,9 bilhões desde 2012 na geração solar distribuída.

 “A energia solar fotovoltaica é uma alternativa para as pessoas reduzirem em até 90% os gastos em suas casas com energia elétrica, aliviando o seu orçamento e protegendo contra aumentos excessivos na conta de luz. A fonte ainda é renovável, limpa e sustentável, contribuindo para a sustentabilidade do Brasil”, destaca Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR.

O mapeamento da entidade também aponta que os consumidores residenciais estão no topo da lista em número de sistemas solares fotovoltaicos instalados, representando 72,60% do total. Em seguida, aparecem as empresas dos setores de comércio e serviços (18%), consumidores rurais (6,3%), indústrias (2,7%), poder público (0,4%) e outros tipos, como serviços públicos (0,04%) e iluminação pública (0,01%).

Inclusive, segundo o mapeamento, os investimentos em geração distribuída solar fotovoltaica nas propriedades rurais vêm crescendo bastante e já passam de R$ 1,2 bilhão no País, respondendo por 8,7% da potência instalada nacional nesse tipo de geração.

Para Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da Absolar, o uso da energia solar fotovoltaica no setor rural traz ganhos de competitividade aos produtores, devido à redução de custos com eletricidade, aumento da segurança elétrica e da oferta de energia na propriedade rural. “Além disso, torna a produção no campo mais limpa e sustentável e agrega valor à marca do produtor rural”, comenta.

O setor rural pode se beneficiar da energia solar por meio de diversas aplicações da energia solar fotovoltaica no setor rural. Segundo Sauaia, a tecnologia é extremamente versátil e no campo pode ser utilizada no bombeamento e na irrigação de água, na refrigeração de carnes, leite e outros produtos, na regulação de temperatura para a produção de aves e frangos, na iluminação, em cercas elétricas, em sistemas de telecomunicação, no monitoramento da propriedade rural, entre muitas outras funcionalidades. “A sinergia entre o agro e a solar fotovoltaica é enorme”, explica Sauaia.

Levantamento da ABSOLAR aponta que as residências dominam o setor de geração solar distribuída, respondendo por 72,6% de todos os sistemas do País

O investimento acumulado de consumidores residenciais em energia solar alcançou a marca de R$ 5,1 bilhões no Brasil. As informações são do mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), apontando ainda que as residências respondem por 38,9% dos cerca de 2,3 gigawatts de potência instalada em operação.

Hoje, a fonte solar fotovoltaica domina as conexões de geração distribuída no País, representando 99,8% das conexões e cerca de 200 mil sistemas instalados, em mais de 79,9% dos municípios brasileiros. Ainda segundo o levantamento, os investimentos acumulados já somam R$ 11,9 bilhões desde 2012 na geração solar distribuída.

 “A energia solar fotovoltaica é uma alternativa para as pessoas reduzirem em até 90% os gastos em suas casas com energia elétrica, aliviando o seu orçamento e protegendo contra aumentos excessivos na conta de luz. A fonte ainda é renovável, limpa e sustentável, contribuindo para a sustentabilidade do Brasil”, destaca Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR.

O mapeamento da entidade também aponta que os consumidores residenciais estão no topo da lista em número de sistemas solares fotovoltaicos instalados, representando 72,60% do total. Em seguida, aparecem as empresas dos setores de comércio e serviços (18%), consumidores rurais (6,3%), indústrias (2,7%), poder público (0,4%) e outros tipos, como serviços públicos (0,04%) e iluminação pública (0,01%).

Inclusive, segundo o mapeamento, os investimentos em geração distribuída solar fotovoltaica nas propriedades rurais vêm crescendo bastante e já passam de R$ 1,2 bilhão no País, respondendo por 8,7% da potência instalada nacional nesse tipo de geração.

Para Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da Absolar, o uso da energia solar fotovoltaica no setor rural traz ganhos de competitividade aos produtores, devido à redução de custos com eletricidade, aumento da segurança elétrica e da oferta de energia na propriedade rural. “Além disso, torna a produção no campo mais limpa e sustentável e agrega valor à marca do produtor rural”, comenta.

O setor rural pode se beneficiar da energia solar por meio de diversas aplicações da energia solar fotovoltaica no setor rural. Segundo Sauaia, a tecnologia é extremamente versátil e no campo pode ser utilizada no bombeamento e na irrigação de água, na refrigeração de carnes, leite e outros produtos, na regulação de temperatura para a produção de aves e frangos, na iluminação, em cercas elétricas, em sistemas de telecomunicação, no monitoramento da propriedade rural, entre muitas outras funcionalidades. “A sinergia entre o agro e a solar fotovoltaica é enorme”, explica Sauaia.

fonte: Portal Solar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: